sábado, 31 de dezembro de 2011

2011 INDO... 2012 CHEGANDO!


O ano de 2011 foi repleto de fatos que demonstraram que, em nosso país, precisamos evoluir bastante no campo da política, saúde, segurança, economia, justiça e bem-estar social. Neste último artigo, peço licença (e desculpa) de meus leitores por ser um pouco “piegas”, intimista e sonhar por dias melhores em 2012.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

FESTA DE UM POLÍTICO, VELÓRIO PARA A POLÍTICA: CADA ESTADO TEM O JADER BARBALHO QUE MERECE


        Todo Réveillon é a mesma coisa: a grande maioria se veste de branco, faz oferendas, ora, reza enfim, pede para que o ano seguinte seja melhor e diferente do que foi o anterior. Pedimos paz, saúde, felicidade, dinheiro (porque não?), que nossos representantes políticos sejam honestos, que a nossa justiça seja atuante e que todos sejam rigorosamente iguais perante a lei e etc., etc., etc... Mas infelizmente nesse fim de ano a nossa política veste-se de preto, enlutada pelo retorno de Jader Barbalho ao Senado Federal.

sábado, 24 de dezembro de 2011

ELE NASCEU!


Sendo historiador, sei que a data de 25 de dezembro é apenas uma simbologia criada pela Igreja Católica que, aproveitando-se de outros rituais pagãos que existiam e que foram duramente reprimidos e suprimidos com o advento do cristianismo, foi consolidada através da sua oficialização pelo papa Julius I durante o século IV.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

NESTE NATAL O INIMIGO OCULTO DA TRANSPARÊNCIA É...

     Durante esta semana natalina, o Brasil foi surpreendido pela noticia das liminares concedidas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski que limitam os poderes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Principalmente no que diz respeito às investigações dos atos dos magistrados e às punições dos mesmos, estas liminares acabaram se transformando em um retrocesso na busca por um judiciário que objetiva uma transparência no Estado Democrático de Direito em detrimento aos desmandos e ao corporativismo que insistem em fazer parte do mundo da magistratura.

domingo, 4 de dezembro de 2011

SÓCRATES DESFALCA O CORINTHIANS E O BRASIL NA FINAL

Sempre fui avesso a homenagens a personalidades, celebridades, etc. Até porque obviamente, como seres humanos, não somos perfeitos e damos nossas derrapadas na vida aqui e acolá. Assim também aconteceu com o jogador e médico Sócrates, que faleceu esta madrugada. Embora tenha tido inúmeros erros e vícios seria inadmissível não homenagear um ser que deixa um legado incontestável para as futuras gerações.



segunda-feira, 14 de novembro de 2011

REBELIÃO NA USP: SIMPLES REBELDES CANÁBICOS

Historicamente, o confronto entre estudantes universitários e aqueles que têm a obrigação de manter a ordem do Estado a todo custo, sejam policiais ou forças armadas, contribuíram, de certa forma, para que fossem feitas diversas análises, reflexões e mudanças políticas que ocasionaram a conquista de vários direitos ao redor do mundo. Disso não há duvida. E eu, que achava repetitivo o discurso, na minha época de estudante universitário, entoado através do lema: “lutar por uma universidade pública, gratuita e de qualidade”. Poderia até ser repetitivo, mas eles tinham lá os seus motivos. Além disso, aqueles que lutavam em passeatas, discursos em cima de caminhões ou mesmo em cima de uma cadeira no refeitório, estavam de cara limpa, e não encapuzados como se fossem bandidos.

sábado, 29 de outubro de 2011

O MEC ENSINA COMO SER INCOMPETENTE

           Novamente, e pelo terceiro ano consecutivo, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vê-se em meio a polêmicas envolvendo a lisura deste certame. Demonstra-se claramente que o Ministério da Educação (MEC) não possui as mínimas condições para promover um exame de grandes proporções e que mereceria o mínimo de atenção em todas as etapas para a sua execução. O Enem perdeu totalmente a credibilidade, virando, inclusive motivo de chacotas. Todo ano especula-se qual será o erro no próximo Enem, para a infelicidade de milhares de estudantes e de seus familiares que acompanham todos os sacrifícios que são feitos na luta pela conquista de uma vaga nas instituições públicas superiores.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

UM PRESENTE (DE GREGO) PARA MANAUS

"Esta obra entrará para os anais e menstruais de Sucupira e do país"
Odorico Paraguaçu – Prefeito de Sucupira

                                                                                                                

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

AOS PROFESSORES DE VERDADE, O MEU RESPEITO!

Para uns o Dia dos Professores é sinônimo de festa, para outros de reflexão e para outros um dia sem importância. Prefiro a segunda opção. Ingressar no magistério, antigamente, era sinônimo de uma verdadeira vocação, um “sacerdócio educacional”. A figura do mestre era parâmetro de retidão e sabedoria. Era um ser praticamente inquestionável em suas ações. Mas o mundo mudou. E assim também o professor teve que se inserir nessas transformações.

sábado, 24 de setembro de 2011

ROCK IN RIO 2011: MAIS RIO E MENOS ROCK



Hoje, dia 23 de setembro de 2011, um dos maiores eventos mundiais do ramo musical volta a fazer jus ao nome – pelo menos na questão geográfica: Rock in Rio. Este retorna ao berço envolto em polêmicas quanto à escolha das atrações. Tudo bem que é difícil agradar à gregos e troianos, mas este terceiro evento no Brasil resolveu ceder em demasia aos modismos efêmeros, aparentemente seguindo o direcionamento comercial feito pela indústria fonográfica.

domingo, 11 de setembro de 2011

11 DE SETEMBRO DE 2001: O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO

 
 
O objetivo principal do historiador é revelar um olhar significativo para determinado fato relevante, analisando as suas causas e consequências. Lembro-me de que, quando iniciei o meu curso de História na Universidade Federal do Amazonas no final dos anos 90, a maioria dos professores dizia: “Esqueçam a forma como foi contada determinada história. Aqui vocês ajudarão a reconstruí-la”. Confesso que em um primeiro momento não compreendi muito bem como seria isso na prática. Mas o tempo, principalmente para os historiadores, é realmente o ‘senhor da razão’. E eis que, já no final do meu curso, mais precisamente no dia 11 de setembro de 2001, os meus olhos presenciavam pela televisão o verdadeiro significado de um fato histórico que abalava as estruturas da nação mais poderosa do mundo.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

BRASIL, ORGULHO DE TODOS NÓS (?)


           
Hoje ao retornar para casa, deparei-me com a seguinte cena: o carro à minha frente estampava um adesivo com o seguinte slogan: ‘Brasil, orgulho de todos nós’. Fiquei imaginando em que contexto aquela motorista colocou o bendito adesivo. Porque a absolvição hoje dada pelos 265 deputados federais ‘secretos’ à Jaqueline Roriz (PMN-DF) demonstra que a falta de credibilidade, moralidade e vontade de mudanças nos comportamentos de nossos representantes continuam nos deixando perplexos de vergonha ao percebermos que os próprios representantes da população estão mais preocupados com os seus próprios interesses do que com o que realmente deseja o povo brasileiro.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

COMO NOSSOS PAIS

Neste domingo, 14 de agosto, é comemorado o Dia dos Pais e, diante dos recentes acontecimentos, resolvi fazer uma análise de como uma relação tão sublime pode ser tão promíscua. O primeiro fato refere-se a fortíssimos indícios de corrupção e enriquecimento ilícito em cenário nacional e o segundo, a anulação de um concurso público local por indícios de fraude. Ambos os casos possuem em comum o envolvimento em negócios – ou negociatas para quem preferir – e facilitações, graças às funções privilegiadas dos pais dos envolvidos.
 

sábado, 30 de julho de 2011

O INFERNO ASTRAL DE DILMA

            
Como se não bastasse toda a limpeza que está sendo feita no Ministério dos Transportes, a presidenta Dilma enfrenta agora uma nova onda de acusações de corrupção envolvendo o Ministério da Agricultura. Além disso, em recente declaração, o seu ministro da defesa Nelson Jobim afirmou categoricamente que não votou na sua superior institucional. São exemplos claros de que muita coisa vai mal pelos arredores do Palácio do Planalto. E o pior é que são ministérios liderados por um partido que é a maior força aliada de Dilma Rousseff, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

sábado, 23 de julho de 2011

AMY WINEHOUSE: MAIS UM EXEMPLO DE UMA TRISTE AUTODESTRUIÇÃO

Sou um músico frustrado e chato. Para me convencer de que algo musicalmente é bom é muito difícil – que o digam aqueles que me conhecem. Desconfio de bandas e artistas “pré-fabricados”. Mas com Amy Winehouse foi diferente. Ela conseguiu quebrar paradigmas na música do século XXI.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

TÁ QUERENDO ME ENGANAR É?... QUANDO AS PALAVRAS NÃO SÃO O QUE REALMENTE DEVERIAM SER

Durante a década de 80, existia um clássico comercial no qual um garotinho, mesmo de olhos vendados, era capaz de identificar o produto original que ele aprecia. Mesmo os outros produtos tendo o mesmo formato, pareciam, mas não eram o verdadeiro. Assim também ocorre na história política. Façamos, então, um paralelo (guardada as proporções, obviamente) entre a Alemanha do início do século XX e o Brasil de hoje.

Em 1920 é fundado o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães(Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei – NSDAP), com a colaboração de Adolf Hitler. A Alemanha encontrava-se arrasada, humilhada após a 1ª Guerra Mundial, principalmente com as determinações do Tratado de Versalhes. O nome do partido que nascia, reacendia uma esperança no povo alemão e por si só levaria à idéia de uma sociedade justa e igualitária. Uma verdadeira congregação do povo alemão. Mas, o que se percebe nos vinte e cinco pontos constantes no estatuto do partido, na verdade, é que a palavra socialismo é usada apenas de maneira eufemista para se atingir os verdadeiros objetivos nazistas. Esta afirmação fica evidenciada no item 4 do  estatuto do NSDAP:

4.      Só pode ser cidadão o que for irmão de raça (Volksgenosse - companheiro de povo). Só pode ser do nosso povo (Volksgenosse) quem tiver sangue alemão, sem consideração da religião. Nenhum judeu pode, assim, ser companheiro de povo (Volksgenosse).

            A expropriação de terras, a fim de dividi-las entre os alemães, eram somente as dos judeus e de povos de outras etnias. Que igualdade é esta? Que socialismo é esse?

            Bom, mas aqui no Brasil recentemente tivemos experiência que, se nos distancia do que foi o nazismo, nos aproxima em relação à tentativa do “parece, mas não é”. 

          Refiro-me ao Partido da República (PR) fundado em 2006 da fusão de dois partidos: o PL (Partido Liberal) e o PRONA (Partido de Reedificação da Ordem Nacional) e que hoje se encontra envolvido em acusações de superfaturamento, desvio de verbas, tráfico de influência e tantas outras. 
           
O termo República vem do latim res publica, ou seja, coisa pública. Temos que ter o cuidado, zelar, cumprir nosso papel como cidadãos para resguardar o que é de TODOS. Ou o que seria de todos. Portanto, ao se auto intitular Partido da República, deveria assumir um compromisso real no cuidado da coisa pública. Mas fica a certeza que o nome é apenas um detalhe, ainda mais sendo o presidente do partido o ex-ministro dos transportes, atualmente o centro de todas as denúncias da sujeira que envolve os noticiários políticos do país. E ele sai para assumir o seu mandato no Senado. Será que irá cumprir com afinco as ideologias do seu partido, principalmente o princípio que diz que o “Partido da República, que tem por base proteger o patrimônio público (res publica), defende um projeto de nação assentado em nossa soberania e nos valores nacionais, com destaque à liberdade, ao desenvolvimento e à justiça social? (grifo nosso)

            Mas o que esperar de um partido que possui em seus quadros figuras como Valdemar Costa Neto (escândalo do mensalão), Anthony Garotinho (escândalo das ONGS no Rio de Janeiro), Inocêncio Oliveira (escândalo no departamento de obras contra a seca), Blairo Maggi (escândalo dos "aloprados") e... Tiririca! E assim, o PR segue escandalizando o Brasil.

          Ouso dizer que, infelizmente, não foi a primeira e tampouco será a última vez que sofreremos um ‘estelionato partidário’. Mas é assim. Nomes bonitos e impactantes, de partidos que não representam absolutamente nada quando suas práticas não são condizentes. Figuram apenas como um mero markentig publicitário. 

Mas vejamos o lado positivo: estamos em processo de amadurecimento da nossa democracia. Talvez o termo República seja interpretado de maneira diferente para os membros do PR, assim como o termo socialista para os alemães de Hitler. Sendo assim, fica a dica: da próxima vez não se deixe enganar. O produto pode não ser Sadia!

video

                       Publicidade da Sadia nos anos 80


OBS: Cabe frisar que o mesmo Sr. Alfredo Nascimento, ex-ministro, como presidente do Partido da República, terá direito de indicar o seu substituto. Se será acatado, é outra história. Mas como a política depende de uma ‘inabalável’ base aliada...

   

domingo, 3 de julho de 2011

LEGADO DO GOVERNO ITAMAR FRANCO: DOIS ANOS QUE CONSOLIDARAM A POLÍTICA E A ECONOMIA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA

A primeira morte de um presidente pós-ditadura militar, reacende a verdadeira importância de seu governo e o seu legado enquanto ocupante do cargo mais importante do país. Independente de qualquer divergência política, Itamar Franco entrou para a história do Brasil por ter sido ele o responsável pela consolidação de dois aspectos que pareciam incorrigíveis naquele início dos anos 90: o político e o econômico.

Politicamente, o país em 1989 foi às urnas após um governo desastroso de José Sarney (1985-1989), que, para se ter uma ideia, nos deixou com uma inflação de 84% ao mês, com a esperança que um novo momento havia chegado e que era a hora do Brasil diminuir o seus problemas internos e externos.  Fernando Collor de Melo ganhou as eleições e menos de dois anos depois as denúncias de corrupção que assolavam o seu governo foram suficientemente fortes para que se decretasse pela primeira vez na história do país um processo de impeachment sobre o maior representante da República. Não tendo outra saída, Collor renuncia e o vice-presidente Itamar assume. Muita tristeza e decepção para milhares de brasileiros que depositaram a sua confiança em um retorno triunfante da democracia.

Sabiamente, uma das primeiras ações de um desconhecido Itamar para os brasileiros, mas já um experiente político de Minas Gerais, foi uma reunião convocada por ele na qual estavam presentes todos os presidentes dos partidos políticos do país. Sabia ele que o apoio de uma ampla maioria seria fundamental para a governabilidade naquele momento. Como os representantes dos partidos se recusaram a propor uma nova eleição, acabaram por firmar, mesmo alguns tacitamente com Itamar, um apoio para o restante do mandato presidencial. O mais difícil ele tinha conseguido. E dessa forma o Brasil respirava aliviado por não ver aumentar ainda mais a instabilidade política. E nesse alvoroço político, obedecendo aos ditames constitucionais, ainda foi realizado um plebiscito em 1993 para escolher a forma e o sistema de governo. Resultado: a maioria confirmou o regime republicano e o sistema presidencialista.

Na esfera econômica o presidente Itamar Franco foi de ator principal a coadjuvante, graças ao seu ex-ministro da fazenda Fernando Henrique Cardoso, que promoveu-se muito mais do que deveria como a figura mais importante do Plano Real em 1994. Ora, vaidoso como ele é, Fernando Henrique esqueceu-se de que estava ali graças a uma conjuntura política. E o presidente que ali se encontrava era Itamar Franco. Se hoje as novas gerações não sentem na pele, no estômago e nos bolsos o que é uma inflação incontrolável, a semente plantada foi no governo Itamar.

Percebemos que os fatos eram totalmente desfavoráveis para um desfecho pacífico e que resultasse em uma certa estabilidade política e econômica para a nação. Mesmo assim, o Brasil conseguiu superar obstáculos que na visão dos países ditos desenvolvidos, seria mais um exemplo nítido de insucesso de um país latino-americano.

Dificilmente o nome de Itamar será associado a “maracutaias”, desvios de dinheiro público ou qualquer ato de improbidade administrativa. Ele, concordando com o que dizia ou não, tinha atitude. Falava o que pensava. Hoje está cada vez mais raro encontrar um político com essa atitude, em um mundo marcado pelo politicamente correto e baseado em troca de favores.

Alguém pode perguntar: mas durante o seu governo não houve erros? Lógico que sim. Mas com certeza, em apenas dois anos os acertos foram fundamentais para um redirecionamento político e econômico do país. Depois do governo Itamar o Brasil respirou aliviado e disse: “Ufa! Essa foi por pouco!”.

OBS: Mesmo com a falta que Itamar fará no Congresso Nacional, cabe aqui frisar que não compactuo com a visão da conceituada historiadora Maria Aparecido de Aquino ao dizer que o “Brasil possui uma dívida com o Itamar”. Acredito que a palavra certa não seja “dívida”. Temos que reconhecer que ele foi um político que pautou a sua vida pública em defesa de uma melhoria concreta e não apenas em discursos falaciosos. Afinal de contas, ética, honestidade e a defesa da melhoria de vida dos cidadãos brasileiros não seriam posturas obrigatórias de quem nos representa?

OBS2: Quem assumirá o lugar de Itamar Franco no Senado será Zezé Perrella, presidente do Cruzeiro Esporte Clube. É a mudança da “água para o vinho”. Se tiver curiosidade, vá ao Google e digite simplesmente “Zezé Perrella é acusado” ou “Zezé Perrella é investigado”, que você conhecerá um pouco mais sobre o substituto de Itamar Franco.


quarta-feira, 15 de junho de 2011

PROFISSÃO: BANDIDO

Vivemos em um país onde ainda se prezam por costumes e atitudes que possam ter qualificações positivas do ponto de vista social. De acordo com o afamado dicionário Aurélio, ética seria “o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente à determinada sociedade, seja de modo absoluto". 

Faço esta introdução devido à infeliz declaração de um colega advogado que, somente no desespero, falaria tal absurdo. O fato remete ao assassinato de um jovem estudante de 24 anos, Filipe Paiva, que cursava a Faculdade de Economia e Administração na Universidade de São Paulo (USP) ocorrido no dia 18 de maio deste ano.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

O SILÊNCIO DOS CULPADOS E O GRITO DOS INOCENTES!

Praticamente todos os dias revejo no canal Viva a “Escolinha do Professor Raimundo.” Um programa humorístico do início dos anos 90 que tem no personagem do professor Raimundo, interpretado pelo Chico Anysio, uma verdadeira crítica sobre o triste cenário do magistério no Brasil daquele momento. E, tristemente, passados mais de 20 anos, percebemos que o tratamento dispensado ao professor no Brasil pouco modificou. Ao contrário, maiores responsabilidades recaíram nos ombros dos docentes. Mas, de maneira inversamente proporcional, a sua valorização não acompanhou o aumento das responsabilidades impostas e as práticas mundanas de corrupção não diminuíram, fazendo com que os brasileiros acreditem cada vez menos em nosso sistema educacional.

BLOGUEIRO NÃO PARA. APENAS DÁ UM TEMPO...




Peço desculpas aos meus leitores pelo período em que fiquei sem atualizar o blog. Questões pessoais fizeram com que me ausentasse. Até mesmo a minha coluna do Blog do Pávulo foi retirada, estando eu agora por conta própria. 

            Bom, agora com menos atribulações irei voltar com mais frequência a postar os artigos.

            Um forte abraço a todos!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

POR UM FUTURO MAIS SÓBRIO

         
Dados divulgados em fevereiro deste ano pela Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que o consumo de álcool no Brasil é 50% maior que a média no mundo. Segundo o mesmo dado, 320 mil jovens entre 15 e 29 anos morrem ao redor do mundo, todos os anos, em virtude do uso do álcool e a iniciação do uso de bebidas alcoólicas está acontecendo cada vez mais cedo. De gole em gole a bebida vem se transformando em caso de saúde pública. 

quarta-feira, 23 de março de 2011

NO ‘BRAZIL’ DE OBAMA, ‘YES, WE CAN!’… PODEMOS MESMO?

A expectativa gerada em torno da primeira visita do presidente norte-americano Barack Obama ao Brasil foi o centro das atenções das últimas semanas. Programas especializados em economia e política fizeram inúmeras projeções sobre a importância e as consequências deste encontro. Porém, pode-se afirmar que a visita ficou muito aquém do esperado.

quarta-feira, 16 de março de 2011

“TSUNAMI” NO BRASIL É SINÔNIMO DE CORRUPÇÃO

Estamos acompanhando o drama vivido pelos japoneses devido às consequências causadas pelo tsunami desde a última sexta-feira, dia 11. Analisando a história do Japão, percebemos que superação sempre foi o seu lema e que não será nenhuma surpresa se daqui a algum tempo restar apenas a saudade daqueles que partiram. Tenho a absoluta certeza de que, mais uma vez, esta nação irá dar a volta por cima e contornar toda esta tragédia que se abateu sobre o seu território.

quarta-feira, 9 de março de 2011

SOMOS TODOS BRASILEIROS... SERÁ?


“Imagine você tocar no meio do mato! Nem sei como é o público de lá, não sei se tem gente, civilização... seria bem legal tocar pra lá. Pra parte que a gente acha que não tem nada”. O completo desconhecimento sobre o nosso Estado explicitado na frase do baterista Thomas do grupo Restart, apenas ecoa a total ignorância de alguns brasileiros em relação ao Amazonas. O Isolamento geográfico e a nossa história pouquíssimo valorizada nos livros de História do Brasil colaboram para aumentar e reforçar um desconhecimento que há muito tempo nos separa do Brasil centro-sul/sudeste.

terça-feira, 1 de março de 2011

CARNAVAL E HISTÓRIA: VISTA SUA FANTASIA E TOME UM BANHO DE CULTURA!

Para quem não gosta ou nunca se interessou por assistir aos desfiles das escolas de samba, principalmente as do Rio de Janeiro, já que se trata de uma verdadeira indústria no quesito profissionalismo, não percebe o grande desperdício de cultura que está sofrendo. Para alguns, Carnaval é sinônimo de orgia, mulheres semi ou totalmente nuas, desfiles e sambas repetitivos, enfim, sem acréscimo algum do ponto de vista cultural. Bom, confesso que sou verdadeiramente aficionado pelos desfiles e explico os meus motivos.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

DECADÊNCIA: MAIS UM EPISÓDIO DA VERDADEIRA FACE DE AMAZONINO MENDES

Eu estava decidido a postar um artigo sobre o fato ocorrido com o  prefeito de Manaus no dia 21 de fevereiro de 2011 na comunidade Santa Marta, na zona norte da cidade. Porém, para aqueles que entendem um pouco de política e não de politicagem, as imagens falam por si mesmas. Abaixo o vídeo na íntegra:

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O SER PROFESSOR NO GOVERNO DILMA: HAVERÁ LUZ NO FIM DO TÚNEL?

No último dia 13 a presidenta Dilma em seu primeiro discurso em rede nacional, entre outras questões, voltou a ressaltar a importância da valorização do professor. De fato, há tempos espera-se uma política neste país que tenha como carro-chefe a educação. Historicamente, porém, quando, no Brasil, houve a oportunidade de um planejamento organizado para tal área, em 1964, com as chamadas “Reformas de Base” pretendidas por João Goulart, tivemos como resposta um dos períodos mais nefastos da nossa História: a ditadura militar.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

“A ÁGUIA NÃO CAPTURA MOSCAS”... E NEM A RAPOSA VELHA!



Amazonino Mendes não entrou para a política ontem. Aprendeu e fez escola política. Isso é fato. Quando a maioria pensava que já tinha morrido e sido enterrado politicamente ele ressurge muito mais por incompetência de gestão do seu antecessor e por se aliar aos políticos que se esbaldam com a miséria humana em programas sensacionalistas do que por suas próprias forças e feitos como homem público.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

NOSSO NOVO PONTO DE ENCONTRO... FIQUE À VONTADE

     
Depois de longas discussões de forma respeitosa (sempre!) recebi, com surpresa, o convite do Pávulo para ser o mais novo colunista deste blog. Gostaria de agradecer a este jornalista que, muitas vezes, navega contra uma grande correnteza. Mas é assim mesmo. Boa sorte nobre colega e muito obrigado pelo convite!

Inicio, naturalmente, apresentando-me de forma resumida aos caros leitores.